Os valores de São Paulo

Janeiro 25, 2017

Os valores de São Paulo

"Sério, que você foi embora da Itália e veio morar em São Paulo? Mas como? E porque?" me perguntam regularmente. Quando respondo que na verdade fui embora de Paris, em geral a reação é algo como "aaaaaaaai não acrediiiiiiiito, ainda piooooooooorrrrr!".

É mesmo? Na verdade, São Paulo, com seus 463 anos, é uma cidade incrível. Tão incrível que merece um texto longo de explicações. E é incrível por várias razões, que independem das diferentes orientações e cores políticos de quem a administra em um momento específico, e que nos parecem serem os valores fundamentais da cidade.

São Paulo, antes de mais nada, é uma cidade que busca a beleza, e a constrói. OK, convenhamos, nem sempre consegue, e tem coisas terrivelmente feias feitas aqui também. Mas o fato é que esta cidade não teve a sorte de nascer como "cidade maravilhosa" por natureza: o que a geografia não deu, ela resolveu construir. E é por isso que é uma cidade de beleza construída, estudada, pensada, desenvolvida: de grandes arquiteturas, de ideias corajosas. De design arrojado, de tendências, de novidades e antecipações. Tinha outro lugar melhor para estabelecer a sede de uma empresa que busca construir a beleza, para um mundo mais lindo, como a Acierno? Pois é, já é uma boa razão.

Segunda boa razão: além de um mundo mais lindo, o que buscamos na Acierno é construir um mundo que seja também mais justo. A empresa inteira existe porque queremos toda a liberdade de ação e gestão necessária para defender nossas práticas: de transparência, honestidade e sustentabilidade; de fazer o justo e o certo, mesmo quando todos os outros vão na direção oposta; de não ter medo de ser diferentes. Em um motto bem paulistano, de não ser liderados, mas sim de liderar. Inovar no modelo de negócio - em uma indústria que existe mais ou menos desde que existe a humanidade - é antes de mais nada uma escolha ética. Non ducor, duco.  

E de onde vem toda esta carga de inovação, de liderança intelectual, de olhar para o futuro que São Paulo sempre teve? Na minha opinião, do fato de não ter medo da diversidade. Sendo uma cidade essencialmente miscigenada, híbrida, acolhedora e integradora, São Paulo criou um universo cultural fértil e efervescente, sem as artificialidades de outras metrópoles multiculturais: em sua brutalidade e essencialidade, São Paulo é fundamentalmente autêntica. Para uma empresa como a Acierno, que se enxerga como autenticamente italiana e ao mesmo tempo autenticamente brasileira, não haveria sede melhor.

E já seria o suficiente, certo? Acierno busca ser uma empresa mais linda, mais justa e mais autêntica, abriu em uma cidade que busca ser mais linda, mais justa e mais autêntica também... só que tem mais. Também buscamos ser mais divertidos: informais, descontraídos, livres de nos expressarmos do jeito que gostamos. E, convenhamos, São Paulo é uma "cidade que nunca dorme", até mais do que New York. Divertida, nossa cidade é divertida, oh se é.

Parabéns, São Paulo, feliz 463° aniversário. É um prazer e uma honra sermos paulistanos, e traçar juntos um pedaço do caminho em busca de um mundo mais lindo, mais justo, mais autêntico e mais divertido.

-- 
Carlo

Na foto: Lampta Dinner, por Lazzarini&Pickering, uma peça mais linda (até lembra o MASP!), mais justa (100% madeira maciça de manejo sustentável, mas com o preço de móveis laminados), mais autêntica (apesar de numerosas tentativas de cópia...), e certamente mais divertida. Italiana? Sim. E, por isso, autenticamente paulistana.